A república a que temos "direito"

Não é novidade que Portugal não existe: o que existe é uma República Portuguesa, um regime substituto da portugalidade. Também não é novidade que essa república se impõe: não permite ser referendada em ocasião alguma, sob que pretexto for. Não é igualmente novo que gasta a rodos, sem vergonha na cara e sem deixar cair a demagogia: 4 milhões e meio de euros para requalificar o hemiciclo da Assembleia da República em tempos de "grave crise internacional", "contenção" e "apertar do cinto", é pouco comparativamente com as negociatas veladas que se fazem diariamente com os dinheiros públicos e a fatia retirada todos os anos do Orçamento de Estado para vestir a Maria Cavaco Silva com o último grito dos estilistas da nossa praça.

É a república a que temos "direito". É o regime que nos está imposto. Enquanto isso, dormem todas as noites dezenas de pessoas nas arcadas do Terreiro do Paço. E viva o Estado Social, democrático e outras coisas que tal!
tags:
publicado por Afonso Miguel às 21:37 | link do post | comentar