A Verdade de mim

É coisa diferente de dizer "a minha verdade". A Verdade de mim, o que sou e em mim mesmo deposito, só no encontro comigo o posso saber. Mas não na minha própria medida, que é relativa até para consigo, mas naquela que é a do Outro e que me estabelece um Critério absolutamente isento da vontade volátil que acarreto. Conhecer-me, conhecendo o Outro, é pois a aceitação Desse, a contemplação e a medição do Ser em que existo perante o Ser que É. Consiste na entrega total ao poder revelado, em detrimento de qualquer sentimento mitificador do mundo que me possa assaltar. É, sobretudo, compreender no intelecto e acolher no coração que aquela Verdade não se baliza em mim, embora seja Dela e para Ela, como em São Paulo: "Já não sou eu quem vive, é Cristo que vive em mim".

Só Nele nos encontramos e nos sabemos. Só Nele nos transfiguramos no cumprimento da Criação. Só no Critério superior, exterior, anterior e necessariamente inspirador do nosso, alcançamos a certeza da Vida plena e verdadeira.

Olhemo-nos olhando a Cruz.

Frutuoso deserto quaresmal!
tags:
publicado por Afonso Miguel às 03:40 | link do post | comentar