Ainda sobre o Domingo de Ramos


 


Desmistificando o jumento, interpretando os sinais, fazendo exegese.


 


Bento XVI, in "Jesus de Nazaré Parte II":



(...) Em cada pormenor está presente o tema da realeza com as suas promessas. Jesus reivindica o direito régio da requisição de meios de transporte, um direito conhecido em toda a antiguidade. O próprio facto de se tratar de um animal que ainda ninguém montou aponta para um direito régio. Mas, sobretudo, há a alusão às palavras do Antigo Testamento que conferem a todo o sucedido o seu significado mais profundo. (...) É certo que, no tempo de David, o jumento fora a expressão da sua realeza e, na esteira desta tradição, Zacarias apresenta o novo rei da paz cavalgando um jumento quando entra na Cidade Santa. Mas, já no tempo de Zacarias e mais ainda no de Jesus, o cavalo tinha-se tornado a expressão do poder e dos poderosos, enquanto o jumento era o animal dos pobres e, consequentemente, a imagem de uma realeza bem diversa.


tags:
publicado por Afonso Miguel às 11:58 | link do post | comentar