Auxílio a alguns sacerdotes conciliares

Do Evangelho de S. João:
Dicit ei Pilatus: “ Quid est veritas? ”. Et cum hoc dixisset, iterum exivit ad Iudaeos et dicit eis: “ Ego nullam invenio in eo causam. (Jo. 18, 38)
Tenho ouvido sempre as mais disparatadas e revoltantes exegeses sobre esta passagem da Escritura. Das inúmeras tentativas de explicação do silêncio de Jesus, que é um dos mais desconcertantes dos Evangelhos, existem, entre outras, as que apontam a incapacidade de Pilatos para a compreensão daquela Verdade ou as que chegam ao ponto de considerar que Cristo admite claramente que aquela Verdade não existe, é relativa - algo perfeitamente plausível vindo de quem dela vem dar testemunho...

A gravidade destas interpretações não seria de monta se as não tivesse escutado dos púlpitos. A quantas homilias já assisti em que o sacerdote (quando não o bispo) ora apresentou uma das referidas versões ou similares, ora não soube sequer o que dizer sobre o sucedido no tribunal romano. Isto quando a resposta é tão simples: Jesus nada verbaliza porque Ele próprio é o Verbo Encarnado; porque ele próprio é a Verdade.

Espero ter ajudado.
tags:
publicado por Afonso Miguel às 11:33 | link do post | comentar