Começa bem


 


O padre Virgílio Antunes, novo bispo eleito de Coimbra, que está neste momento a ser ordenado em Fátima, disse em entrevista ao programa Ecclesia da RTP 2:


 



“A Igreja de hoje não se apresenta como senhora e dona de toda a verdade”, salienta D. Virgílio Antunes, acrescentando que a “verdade do Evangelho” de que é portadora “é para pôr ao dispor das pessoas”, pelo que “tem de as ouvir”.



 


Há-de o prelado explicar se a Igreja alguma vez se arrogou em "senhora e dona" da verdade, bem como se não devemos nós estar ao dispôr do Evangelho e não o contrário, sob pena de nos apropriarmos individualmente, hoje sim, dessa verdade. A recorrente dicotomia entre a Igreja do passado e a pós CVII, tão frequentemente associada ao tradicionalismo, encontra sempre espaço nas contradições profundas do discurso modernista. É o caso. Para mais, as palavras de Virgílio Antunes vão muito no sentido da negação da autoridade da Igreja como única interprete legítima da Sagrada Escritura a da mensagem evangélica. Protestantismo puro e duro, pois claro. Quase que cheira a Boff...

tags:
publicado por Afonso Miguel às 16:47 | link do post | comentar