Da hipocrisia


 


Anda meio mundo indignado por terem proibido a passagem deste anúncio nas televisões portuguesas. Um anúncio que agarra numa tradição muito querida entre os muçulmanos que invadem a Europa, para protestar contra a nossa tourada. Apela a que por cá não haja violência, comparando a brutal violação de uma vida humana à festa popular de espetar uns ferros num touro bravo; comparando, sobretudo, a dignidade de uma e outra vida, colocando-as em absurdo pé de igualdade, e equiparando os motivos do apedrejamento e da lide. Coisa estúpida, descerebrada, populista, a promover um sentimentalismo sem Razão.


 


Por outro lado, os argumentos que associam aos aficionados são precisamente os mesmos que os defensores do aborto livre anunciaram nas suas infames campanhas: quem não quer não faz; quem não quer não vê; proibir é pior. Se, no fim, alterassem as imagens do touro ensanguentado pelas de um ser humano assassinado no ventre materno, assentavam que nem uma luva. Porque, o engraçado é que grande parte da extrema-esquerda que promove a ficção dos "direitos dos animais" é a que usou aqueles mesmos argumentos falaciosos para destruir os reais valores humanos. De tão habituados que estão, atribuem-nos a todos e usam-nos consoante a conveniência.


 


E ainda falam em hipocrisia...

publicado por Afonso Miguel às 12:48 | link do post | comentar