Da História contada pelos vencedores


Não há grande novidade. A memória histórica esteve sempre ao serviço de alguma coisa. No caso da tradição católica, por exemplo, está ao serviço da verdade. Não se estranhe que Monsenhor Williamson tenha posto em causa a existência de um holocausto nos campos de concentração nazis. Partiu de um facto para criticar uma leitura. Outros há que partem de uma leitura para criticar factos. A entrevista de Rita Rato ao CM, a jovem parlamentar marxista que é funcionária partidária de profissão, é uma gota de água no meio de um dilúvio. Que a menina afirme que não sabe o que dizer sobre a Coreira do Norte (onde é ilegal ter um "livro de maus costumes") ou sobre os gulags soviéticos, é sinónimo de duas coisas: primeiro, que nem os comunistas ousam contradizer os patrões; segundo, que vivemos no tempo da vitória socialista. Típico de quem acredita que tudo é ideologia. Porque haveria a História de escapar?

publicado por Afonso Miguel às 23:36 | link do post | comentar