Das terras distantes do império


 


Se há nação a que não se aplica a velha máxima de Juvenal é o Brasil. Enquanto o estômago dos brasileiros fica mais aconchegado, o país promete pouco em matéria de sanidade mental. Há dias, um amigo paulista assegurou-me que a nova presidente do samba se declara contra o aborto, a eutanásia e o emparelhamento de pessoas do mesmo sexo. Muito sinceramente, não sei se se confirma, para mais sabendo da fortíssima campanha que os católicos tradicionalistas levaram a cabo, durante meses, contra a candidata do PT. O que sei é que, por cá, o nosso chefe de "estado calamitoso" também declarou a mesma coisa quando da promulgação de certos direitos. Porque razão seria diferente em Brasília?

tags:
publicado por Afonso Miguel às 23:31 | link do post | comentar