Do cinquentenário do monumento a Cristo-Rei [II]

19º - Regressado a casa depois de uma manhã memorável, trago gravado na memória o momento em que pude estar muito perto da imagem da Senhora de Fátima, a coisa de um metro. Pode parecer pouco, mas ter a oportunidade de estar assim junto à imagem que suscita a veneração de milhões de pessoas e que é a representação de uma mensagem que Portugal anuncia a toda a terra, foi privilégio que jamais esquecerei. E não será preciso dizer que tive os meus caros amigos de luta em pensamento.


 


20º - Neste momento, está a ser celebrada Missa junto ao monumento do Cristo-Rei. É o culminar de uma manifestação gigantesca de Fé que, como já disse, deu uma chapada sem mão a muita gente. Se é certo que grande parte dos fiéis acorreram para ver a deslocação histórica da imagem da Virgem, e não tanto para as comemorações, não deixa de ser verdade que por Ela, que é rainha de Portugal, vamos todos ao Rei celestial.


 


21º - Voltando à crítica: estes ofertórios em que tudo se leva ao altar, como se de uma fila de entrega de presentes se tratasse, é das coisas mais estranhas que se introduziram no Rito Paulino. É algo que não faz sentido absolutamente nenhum, que não se enquadra no acto litúrgico sacrificial. Enfim, realidade conciliares...


 


22º - É impressão minha ou o coro do Santuário de Fátima está a dar o berro?


 


23º - D. Jorge Ortiga, presidente da CEP, diz que não quer que Cristo reine em triunfo, mas em serviço. Antes, tinha dito que a pessoa humana deve ser o centro da sociedade moderna que a Igreja quer ajudar a construir. Fica pois por esclarecer que raio de comunhão com o Santo Padre é essa que no início da alocução afirmou existir... É que este episcopado português vai de mal a pior: tenta tapar o sol com a peneira, mas escorrega no mesmo momento. E resta-nos a dúvida de ficarmos sem saber de que reinado de Cristo estamos afinal a falar quando consagramos Portugal ao Sagrado Coração.


 


(fim de emissão)

publicado por Afonso Miguel às 17:14 | link do post | comentar