Está na hora de prestar contas

O Rorate Caeli está a lembrar o que o Santo Padre pediu aos bispos na carta que lhes dirigiu com o Summorum Pontificum, em 2007:


 



Além disso, convido-vos, amados Irmãos, a elaborar para a Santa Sé um relatório sobre as vossas experiências, três anos depois da entrada em vigor deste Motu Proprio. Se verdadeiramente tiverem surgido sérias dificuldades, poder-se-á procurar meios para lhes dar remédio.



 


Pois bem. Passados os três anos, está na hora de dar contas à Santa Sé. No nosso caso, não há novidades absolutamente nenhumas. Serão certamente enviados relatórios cheios de nada, porque nada foi feito pela hierarquia portuguesa no sentido da promoção da liturgia pré-conciliar. Antes pelo contrário: têm sido colocados todos os entraves aos fiéis que pedem a Missa Tridentina, ao ponto de termos de erguer uma faixa em duas Missas papais reclamando "Liberdade para a Missa Tradicional em Portugal".


 


Portanto, se há alguém que tem alguma coisa a relatar a Bento XVI sobre este assunto, somos nós, os fiéis. Temos mesmo esse dever, a fim de que, expostas as dificuldades que sentimos, se possam "procurar meios para lhes dar remédio". E que poderoso remédio precisa a doença de que padece o nosso clero!


 


Da minha parte, hei-de escrever aqui o que considerar relevante.

publicado por Afonso Miguel às 00:23 | link do post | comentar