Eu não acho que este homem seja maluco

Já vi mil e uma coisas na internet sobre o "11 de Setembro" e chego a esta conclusão: quanto maior for o fluxo de informação e o número de documentários e livros sobre este tipo de assuntos, menos credíveis se tornam determinadas posições que colocam em causa a versão oficial dos acontecimentos. Aliás, a melhor forma de as transformar em teorias da conspiração próprias de lunáticos, é incentivar a produção de investigações e, sobretudo, ficções e boatos sobre certos temas. É uma técnica que, parecendo ter o efeito contrário, acaba por desacreditar  os factos, por nunca serem confirmados por nenhuma entidade. Não é por acaso que se diz que alguém "anda a ver muitos filmes"...


 


Monsenhor Williamson é dos que se arroga a ter opiniões controversas, arriscando-se a ser rotulado com todos os preconceitos de que a Igreja modernista foge a sete pés - alinhando neles. A exemplo de outras situações, como a do holocausto nacional-socialista, não pode calar as dúvidas que o assaltam sobre o "11 de Setembro". Pela proximidade da data, torna-se pois oportuno publicar um excerto de uma pregação em que o Bispo da FSSPX fala sobre os "atentados", a que cheguei via O Reaccionário:


 





publicado por Afonso Miguel às 18:15 | link do post | comentar