Impossibilidade de resgate

Perguntamo-nos muitas vezes por que razão Roma não intervenciona Portugal. A resposta pode ser tão simples como: não há capital humano nacional que garanta qualquer efeito prático. Falo dos bispos, claro está, porque se de bispos decentes houvesse a mesma quantidade que a de padres tradicionais, porventura ainda conseguiamos ter vinte dioceses bem governadas. Mas como os nossos prelados são todos, invariavelmente, luminárias do espírito conciliarista, ficamos no medo, na repressão, na ignorância. Ficamos, pior ainda, na impossíbilidade de qualquer colaboração com o Santo Padre na "reforma da reforma" - por mais deficiente que esta ainda seja.


 


***


 


Pequena nota a propósito da matéria da RR "Cinco anos depois, Summorum Pontificum é letra morta em Portugal".

publicado por Afonso Miguel às 12:37 | link do post | comentar