Integralismo poético

Deu-te o Senhor para o escudo as Cinco-Chagas,
o teu sinal é o Sinal da Cruz.
E eu creio assim que em tua carne tragas
a Santa Face, aberta a sangue e luz.

Quando te vejo o sulco das adagas,
eu julgo ver o corpo de Jesus.
A ânsia de sofrer com que te chagas,
Ó alma ardente, aonde te conduz?

Tu deste do teu ser ao mundo inteiro,
batendo-te por Cristo verdadeiro,
ó Cristo das Nações, ó Portugal!

E agora roxo, com um ar funéreo,
a ti que dilataste a Fé e o Império,
ninguém te limpa o teu suor mortal!

António Sardinha

tags:
publicado por Afonso Miguel às 16:40 | link do post | comentar