Ler, reflectir, compreender [IV]

Posição do distrito alemão da FSSPX, no dia 23 de Novembro (tradução via Fratres in Unum):


 



«Quanto à questão dos preservativos:


 


As declarações do Papa foram distorcidas pela imprensa. No entanto, elas foram  infelizes. Suas palavras podem ser comparadas a um conselho dado a um ladrão assassino, para que no futuro se limite a roubar. Apesar disso, não se pode deduzir desse conselho, que o roubo seria permitido em alguns casos. Agora as palavras do Papa serão interpretadas dessa maneira. No entanto, o Pontífice deveria estar ciente que não se pode esperar que o público mundial faça tais distinções sutis e acadêmicas em temas tão sensíveis. Infelizmente, ele não fez a distinção entre a tolerância de um mal e a sua justificação. Isso necessariamente conduz a generalizações. A este respeito, devido a sua formulação, o Papa também é responsável pelo enorme frenesi da mídia, que fala até mesmo numa reviravolta na moral.»


tags:
publicado por Afonso Miguel às 20:01 | link do post | comentar