Morreu um mestre

Uma breve passagem em nova quebra de jejum blogosférico para fazer pública homenagem a Antoine Sibertin-Blanc, organista titular da Sé Patriarcal de Lisboa, falecido ontem vítima de doença prolongada. O músico francês é um dos grandes responsáveis pelo que de melhor se desenvolveu na música litúgica em Portugal despois do CVII. A escola de orgão pró-barroca que deixa no nosso país é uma das suas mais significativas contribuições nesse sentido. Tenho o privilégio de o ter conhecido pessoalmente e de manter amizade com alguns dos seus "filhos" e "netos". E são eles a principal esperança da música sacra portuguesa, contra as marés modernistas que se vão instalando por toda a parte...

 

Fica a saudade e a promessa do futuro.

publicado por Afonso Miguel às 17:42 | link do post | comentar