O jovem radical do séc. XXI


A juventude é sempre irreverente. Não alinha com o pensamento estabelecido, rompe convenções, costumes, tradições. A juventude é tempo de ideias alternativas, crítica feroz ao passado, presente e até futuro, por puro e ousado vanguardismo. Junta e mistura tendências em tonalidades desconhecidas, inaugura novas formas de ver o mundo e cria ilusões nunca antes vistas. Nas palavras de Amaro da Costa, "a juventude não é instalada", como significando todo o processo criativo inerente a cada lufada de inovação que lhe é própria, e apoiada que está numa coragem que se desvanece depois com a idade.


 


Essa coragem é acompanhada de radicalidade. Hoje, ser plenamente jovem é ser diferente ao ponto de pertencer à tribo urbana: roupas escandalosas, ditos repugnantes, gestos intimidadores, lógicas e sentidos incompreensíveis, que transformam o senso comum instalado num balofo e ultrapassado paradigma de vida. O jovem radicalmente irreverente é olhado como rasca, lixo de uma sociedade que não soube educar os seus filhos segundo as regras civilizacionais vigentes. E a culpa divide-se entre a escola e essas ideias malucas que agora encontram na internet. Dizem que se lêssemos uns livros, daqueles que se encontram na secção de banalidades da Fnac, talvez encarrilassemos no sistema e nos portassemos segundo os cânones da sociedade...


 


Mas, afinal, o que significa tudo isto em 2009? Em que se traduz divergir corajosa e radicalmente dos nossos pais e do seu estilo de vida? Onde encontrar a posição mais escandalosa, provocadora, audaz, perigosa e desafiadora do sistema em que nascemos? Como marcar verdadeiramente a diferença?


 


Como não poderia deixar de ser, a resposta não é fácil de descortinar e pertence a uma daquelas tribos urbanas que ainda ousa ser fracturante. Mas eu dou uma ajuda, aqui mesmo, nesta internet que conspurca as nossas mentes. A resposta está na acção reaccionária e a reacção é a monarquia integralmente católica. Não há nada que seja mais "fora". Por isso, usando uma linguagem já gasta, fica um conselho: abram a pestana e aproveitem enquanto podem!

publicado por Afonso Miguel às 23:08 | link do post | comentar