1 comentário:

João C. a 28 de Agosto de 2009 às 01:24
Nem mais!... Mas isto tem sido típico desta sociedade, o dar nomes a uma coisa que não o é! De facto, aquele espaço, infelizmente consagrado como igreja, não passa de um anfiteatro onde se celebram Eucaristias. Sim, ali toda a gente celebra! O calvário tornou-se festa!!

Mas, para se celebrar num afinteatro, o Centro Pastoral Paulo VI servia muito bem! Cheguei a assistir a Missas lá, no Paulo VI, que, na altura, há 8, 9 anos, com os meus 14-15 anos, me pareciam espectaculares, por serem modernas, animadas! Mal percebia eu que aquilo não eram Missas....eram encontros.

Toda a gente falava, todos opinavam! Lembro-me de um Padre (um dos que fez a homilia, porque todos deram o seu parecer) que falou 40 minutos sobre a moeda única europeia (o Euro, que então ia entrar em voga) e como isso nos ia fazer sentir mais irmãos, mais unidos.

Falou, já na altura, talvez num prenúncio da aberração que iriam construir, na importância de - e passo a citar, mais ou menos as palavras que ele disse - se "celebrar a Festa do Senhor (Missa) num espaço como aquele, onde as diferenças não se faziam sentir". Sem cruzes, imagens de Santos, incenso, etc...

E, anos depois, aterrou entao o OVNI bem perto dali! Só penso no que ouvi dizer que iam fazer daquele atentado à Arquitectura Sacra: Que "aquilo" iria servir para encontros ecuménicos...falsamente ecuménicos!

Enfim, amanhã vou eu à barbearia cirtar a guedelha, com sorte, alguém criticará (como a maioria das opiniões que encontro) aquela construção fantástica...ou então nao...

Um abraço amigo de Mafra!