Ter a resposta na ponta da língua

Um amigo contou-me ontem que foi questionado numa igreja sobre se seria um fundamentalista. Um senhora aproximou-se e colocou-lhe a pergunta. Sem perceber o que poderia motivar a abordagem, acabou por ouvir o seguinte: "É que você fica ajoelhado durante todo o Cânon e parece um daqueles que se ajoelham na Missa por tudo e por nada". A resposta que lhe deu não poderia ter sido melhor: "E acha que a presença real de Nosso Senhor é esse "tudo e nada" perante o qual me deva levantar logo que se dá?"


 


Consta que a fundamentalista modernista se pôs em fuga, murmurando...

publicado por Afonso Miguel às 16:15 | link do post | comentar