Um novo padroeiro

Se era normal a reaccionária deste país dizer-se do 24 de Abril, pois tem de mudar a data para 26 do mesmo mês. Amanhã, por esta hora, já estará definitivamente confirmada a certeza de séculos: que o nosso Condestável é Santo, com mérito de honras em altares, veneração no coração e imitação na acção.

São Nuno de Santa Maria, como será chamado, é o exemplo perfeito a seguir para os nacionalistas monárquicos. Como diz o Corcunda, ele faz-nos celebrar "Portugal como se ainda o tivéssemos entre nós. Na memória do Condestável vive a Fé de um homem de vida casta, a consciência do Dever do político e da Nação ao serviço da Justiça Divina, o combate num espírito de caridade ilimitada pelo inimigo, o amor do Rei, a consciência absoluta da comunidade na amizade cristã. No Santo repousa tudo aquilo que repugna ao homem moderno (...)". E do que precisamos, afinal, para além deste espírito actuante, pronto a servir, totalmente entrega à causa maior do Alto feita presença humana neste pedaço de terra?

Sim amigo, a partir de amanhã temos um novo padroeiro. É a nossa Jeanne d'Arc. Os outros, que fiquem com o Otelo...
publicado por Afonso Miguel às 14:39 | link do post | comentar