António Bastos a 18 de Dezembro de 2009 às 23:52

Ao ler o post ocorreu-me a advertência feita pelo Pe. João Seabra na sua entrevista televisiva. Não tenhamos dúvidas de que mais tarde ou mais cedo a Igreja entrará na clandestinidade. Falar da própria vida como um dom do Altíssimo do qual em principio não podemos dispor é uma "aberração" inconcebivel para um mundo estruturado em função da vontade do homem destes tempos modernos, homem esse que se autodivinizou. O embate entre estas duas visões antagónicas é pois inevitavel. A tua "receita" bem pragmática para viver o dia-a-dia é, por outras palavras,  aquilo que muitas vezes digo a mim próprio. Há momentos em que digo que gostaria de ser mais burro, visto que viveria mais descontraído.

Comentar:

De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

(moderado)
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres


Copiar caracteres

 



O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.